segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Passada a azáfama destes dias, nesta altura gosto sempre de fazer um ponto de situação. Analisar o ano que passou e fazer planos para o próximo. Acontece-me o mesmo em Setembro, com o inicio do ano lectivo... Mas este ano é um bocadinho diferente, porque parece-me que ainda ando com o 2006 pendurado. É verdade, 2006, que já lá vai há tanto tempo. Foi um ano que não correu particularmente bem, aliás, não correu mesmo nada bem. Depois de 2 anos de pesadelos (no verdadeiro sentido da palavra), resolvi passar a escrito tudo o que me aconteceu naquele ano. Fiz isso no inicio de Dezembro e saiu-me um peso de cima. Eu, que sempre achei que escrever ou falar sobre as coisas não adianta nada... Tenho falado sobre o que aconteceu aos poucos, muito de vez em quando, mas não muito profundamente com medo que doa mais. Mas este mês escrevi tudo o que aconteceu. Cruelmente, com medo de ler para trás o que estava a escrever, pondo à vista tudo o que senti na altura, coisas de que me orgulhei mas também coisas que tive medo de admitir. Fiz isto depois do jantar, já tinha os dois a dormir. Fui para a cama muito mais leve e desde aí nem um pesadelo.
Só o tempo nos dá a clareza suficiente para admitirmos que os piores episódios das nossas vidas não ficam fechados naquelas gavetinhas como gostaríamos. E por mais reservados que sejamos, esses fantasmas acabam por aparecer, no meu caso sob a forma de pesadelos, do mais horripilante que há, sob a forma de ataques de choro por ver um anuncio de televisão, e outras coisas do género.
Tentar esquecer que 2006 existiu fez com que 2007 e 2008 fossem vividos de uma forma mais superficial, mais embaciada. A realidade estava ali, mas eu estava noutro plano.
Agora parece mais fácil falar, e não me custa escrever aqui, resumidamente, o que me aconteceu:

2006
Janeiro - decidimos casar, marcamos a data - 29 Julho
Fevereiro - o meu pai anuncia que os médicos viram uma manchinha no pulmão, mas prognóstico bom
Março - é preciso abrir para ver o que é - é operado no S. João
Abril - descubro que estou de bebe, 5 semanas.
Maio - Pai cada vez pior, muito inchado e muitas dores. Tem esperança de ir ao meu casamento, mas diz que se calhar precisa de um fato novo porque não vai caber nos que tem.
Junho - Pai fica internado, metasteses na coluna e cérebro.
Morre a 24 de Junho, estava comigo e parou de respirar. Não me consigo lembrar das últimas palavras... Reagi muito bem, mas faltou-me a força das pernas quando vejo a minha mãe a sair do crematório com um potezinho na mão.

Na quinta feira seguinte faço eco das 12 semanas. Médica insiste que estou de 10 semanas. Eu tenho certeza das 12s. Vamos ligar o som para ouvir o coração. Silêncio. Silêncio demasiado longo.
1 de Julho - o corpo não expulsou o feto. 1ª raspagem mal feita no Pedro Hispano.
29 de Julho - Casamento
Agosto - lua de mel
1 de Setembro - 2ª raspagem, desta vez no S. João. Período ainda não tinha vindo e havia risco de não vir mais, com todas as consequências...
No fim do ano já estava bem, graças a Deus.

2007
Terminei a minha formação.
Engravidei logo a seguir como tinha planeado.
Danny ganha os 2 concursos em que entra. Vai tocar a Vilar de Mouros, mas VM é cancelado.
Fomos a Barcelona, ao Algarve e a Inglaterra.

Vou fazer a minha análise de 2008 e depois deixo aqui a versão reduzida!

4 comentários:

CSaramago disse...

Ái amiga como compreendo cada palavra que escreves...:(sou da opinião de que não há mal que sempre dure nem bem que nunca acabe...a vida é feita de obstaculos e quando encontramos um normalmente veem mais dois ou três...no final de os saltarmos todos aprendemos que são esses mesmos obstaculos que nos tornam mais fortes...
Força o caminho é em frente neste caso em 2009,e agora fecha de vez as gavetinhas do passado
Um beijo de energia positiva

Paula disse...

Minha linda... foi sem dúvida um ano terrível... às vezes a vida tem destas coisas... junta o mais negro que tem de uma só vez...

Fizeste bem em 'exorcizar' tudo... e apesar de nunca conseguires apagar o que passou em 2006, este ano trouxe-te um bom motivo para olhares mais para o futuro... o David!

Beijinho grande e que 2009 seja ainda melhor xx

Eunice disse...

Deixei cair uma lágrima, também já passei pela perda do Pai e sei o que isso é. Por momentos levaste-me a viajar até esses momentos menos bons de 1990 mas tão frescos na minha memória... Prá frente... fizeste bem em colocar no "papel", assim estás mais leve e isso é que importa!

Um beijo e um óptimo 2009!

Mama da pimpolha disse...

um beijo muito grande :) entendo-te perfeitamente... 2006 também não foi muito fácil para mim... mas o que lá vai lá vai não se esquece mas já está no cantinho das recordações no nosso cérebro... Agora tens um tesouro lindo... ( ainda não te disse mas adoro o teu rebento é lindooooooooooo )

Feliz 2009