domingo, 15 de junho de 2008

"O rapto ocorreu cerca das 14h35, mas só foi detectado cerca de uma hora depois, quando foi encontrado um berçário abandonado dentro de um elevador.

A raptora fez-se passar por enfermeira e abordou a mãe, pedindo-lhe a criança com o objectivo de a levar para fazer análises médicas e a pesar."
in Sol

Por acaso acabou bem, mas fez-nos pensar que o nosso não vai sozinho a lado nenhum. É que na Lapa, uma das melhores clinicas do Porto, toda a gente entra à vontade, sem dizer que é, nem onde vai...

2 comentários:

María&Pezucos disse...

É uma situação que me gera grande stress....

Do mais velho entrei em pânico quando mo levaram para vestir e aquecer. Memorizei nos momentos em que esteve deitado sobre mim, a sua face, os seus traços, tudo.....

Deste farei o mesmo, mas num dos hospitais que tenho em vista para o parto, ele nunca sairá da nossa vista.

Não sei porque todos os hospitais ainda não aderiram ás pulseiras electrónicas....

Enfim, ainda bem que tudo se resolveu bem neste caso!

Bjnhos grandes

Piuzitos disse...

Ah pois é... sempre tive pânico que me roubassem as crianças! Nunca saíram do meu quarto sem mim, fosse com quem fosse. Lembro-me inclusivamente de terem vindo 3 enfermeiras buscar o Henrique para fazer um rastreio auditivo e eu fiz questão de ir também (e fui).
Nunca fiando...