quarta-feira, 25 de março de 2009

viajar c bebe - se querem mesmo, não pesquisem!


Estava tudo combinado: partíamos Sábado de manhã em direcção a Madrid, ficávamos em casa de uma amiga minha, no Domingo eu ia fazer um Intensivo de yoga e na segunda voltávamos. A casa da minha amiga é perto do aeroporto, e tinha boleia de carro para o curso, por isso não me parecia muito confuso. Quinta comecei a comprar algumas coisas que não podiam faltar, sexta comecei a fazer a mala. Cortei logo as sopas empacotadas porque tinham mais de 100ml. Ele ia ter de almoçar no aeroporto, antes de entrar no avião. Tinhamos de ir de metro para o aeroporto. Parecia um pesadelo, e quando já estava quase tudo encaminhado, porque algumas coisas só mesmo no sábado de manhã é que podiam sair do frigorífico e tal, sentei-me no sofá, eu e o pai, derreados de uma semana de trabalho intenso. Resolvi googlar: "viajar c bebe", não fosse estar a esquecer-me de algo fundamental. O primeiro artigo ainda foi mais ou menos, o segundo foi como um estalo na cara... E porque apanham isto e mais isto, e a mudança na rotina deles demora dias a ser recuperada, e tal e tal... Eu que já estava estourada perguntei ao meu steak: "E se vocês não fossem?" Ele fica a olhar para mim... "Eu sei que é complicado, mas já temos tudo pronto..." Pois, mas não precisam de ir, é só desfazer a mala... Li-lhe o artigo e passado meia hora tinha-nos saído um peso de cima. Estava decidido, eu ia sozinha, o pai ficava com o little steak e pronto. Senti-me aliviada. Para não pensar nas saudades começamos a dizer um ao outro que até era saudável eu ir sozinha e coisa e tal... Podia-me concentrar melhor no trabalho, tinha tempo para ler, ouvir musica e ia conseguir dormir a noite toda seguida...
No Sábado de manhã quando me deixaram no aeroporto nem me acreditava. Aquele apêndice que tem andado pendurado em mim desde que nasceu não ia comigo, e agora?
E se ele não se lembra de mim na segunda-feira?
Lá fui eu, muito mais leve do que o que contava, a Suzi também ia e acabou por ficar em casa da minha amiga também. E os dias nem se passaram mal. Estava mentalizada de que só o voltava a ver na segunda e por isso não havia nada a fazer. Não liguei mais vezes do que o normal, não me preocupei nadinha. O steak é um pai exemplar. Não precisei de lhe deixar nenhum recado, ele normalmente participa em tudo. Não temos tarefas pre-determinadas. Quem puder faz a sopa, quem puder dá-lhe banho, quem puder adormece-o. Não dormi nada de jeito, estava muito bem instalada em casa da minha amiga mas estranhei a cama acordei mil e uma vezes, tive calor, frio, nariz tapado... Na segunda noite o mesmo...
O curso foi muito bom, o professor é do melhor que há e aprendi muito.
No Domingo à noite ainda matei saudades da minha amiga em cuja casa fiquei (tinham ido para a neve e só chegaram nesse dia) e jantamos os famosos PanCooks que o marido dela faz todos os domingos.
Segunda de manhã começou-me a dar um nervosinho, estava mortinha por chegar ao Porto. Quando o vi deu-me um daqueles sorrisos e começou a esconder a cara como se tivesse vergonha. Que delícia o meu filho. O pai acha que ele sentiu e teve saudades, disse mais vezes mamamamama do que o habitual e andou como que à procura de alguma coisa (de mim, claro)... Portou-se muito bem, não falhou nenhuma refeição nem banhos e passearam bastante. Apesar de me ter custado, foi o melhor para ele e foi isso que pesou na nossa decisão. A única coisa que me fez marcar viagem para todos era que ele ainda estava a mamar e aí tinha mesmo de ir, agora sem maminha, já não havia justificação.
E foi assim que eu dormi (ou não) 2 noites a centenas de quilómetros do meu principezinho.

2 comentários:

María e Pestilecas disse...

E portaste-te muito bem, tu e os teus homens :)
Se fosse eu, chorava o tempo todo, aliás, nem ia :p
Mas eu não sou exemplo para ninguém e admito-o!

Beijos!!!

Shiva disse...

Grande mamã! Muito bem!!! E aquele sorriso que te deu no aeroporto deve ter valido por mil palavras!!!

beijinhos grandes!!!